Tim Ferriss e a arte de simplificar | 10 Grandes Ideias

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Execute as suas ideias, foque no que você domina, elimine todas as distrações. Esse é o resumo das principais ideias de Tim Ferriss, escritor que já colocou quatro livros na lista dos mais vendidos do mundo

Você já teve curiosidade sobre os segredos por trás das pessoas que são capazes de alcançar os melhores resultados na atividade que praticam?

Então eu te dou boas vindas à série 10  Grandes Ideias, onde você vai conhecer dez regras pelas quais grandes nomes dos mais diferentes setores conduzem suas vidas, carreiras e relacionamentos.

No primeiro post da série, que terá publicação semanal, você vai ver alguns dos segredos que levaram Tim Ferriss a ter essa impressionante lista de conquistas:

  • Cada um dos quatro livros dele trata de um assunto totalmente diferente;
  • Um deles passou SETE ANOS na lista dos mais vendidos do mundo;
  • Recordista mundial de mais giros por minuto dançando tango;
  • Um dos primeiros investidores em gigantes como Evernote, Uber e Facebook.
  • Apresentados de um podcast com mais de 100 milhões de downloads

Agora que você já está convencido(a) sobre a capacidade de realização de Tim Ferriss, é hora de conhecer as 10 Grandes Ideias, os segredos que o levaram a estar entre os melhores escritores, dançarinos, investidores e apresentadores do mundo!

Bônus: Tim Ferriss aprende com os melhores

tim ferriss e arnold schwazeneger

Nem todas as 10 ideias neste post são, originalmente, do próprio Tim Ferriss – algumas ele descobriu e passou a usar enquanto escrevia seu mais novo livro, Tools of Titans: As Táticas, Rotinas e Hábitos de bilionários, ícones e artistas de nível mundial.

Ele entrevistou algumas dessas pessoas para o seu podcast, The Tim Ferriss Show, e o mais interessante é que ele não só deu o espaço para que as ideias de outras pessoas fossem compartilhadas, como passou a usar aquelas que pareciam dar bons resultados.

Essa é, na minha opinião, a ideia número 0 que qualquer pessoa deve seguir, se quer ter grandes resultados – aprenda com quem já fez!

Foi justamente essa crença que me levou à começar o DESEN.life, para levar o conhecimento de grandes realizadores do mundo ao maior número de pessoas possível.

1. Ideias, por si mesmas, não tem valor nenhum

Apesar de parecer que essa dica, sozinha, contradiz toda a proposta da DESEN (compartilhe grandes ideias!), o que Tim Ferriss quer dizer não é que ter ideias é algo inútil ou uma habilidade descartável.

A verdade é que as ideias, sem ação, não levam a lugar algum. Poucas pessoas são recompensadas pelas ideias que tiveram e não executaram.

Não sei se já aconteceu com você, mas algumas vezes eu encontro novidades interessantes – algumas são simples objetivos, como utensílios domésticos ou coisas do tipo, outras são negócios gigantescos, como o Uber atualmente; e essas coisas deixam uma sensação de “como eu não pensei nisso antes?”.

Muitas vezes, é possível até mesmo que você – ou outra pessoa – já tenha pensado, mas não deu os passos necessários para transformar essa ideia em algo concreto e que pode ser usado por outras pessoas.

A sua ideia não teve qualquer valor.

Por outro lado, segundo Tim Ferriss, quando você tem uma grande ideia e executa seguidas ações para torná-la algo que existe no mundo real, fora da sua mente, acaba acumulando valor em torno dela.

Ideias, por si mesmas, não tem valor; mas agir atribui valor às suas ideias.

Então continue compartilhando grandes ideias!

2. Diversifique seus interesses

Tim Ferriss é escritor best-seller nas áreas de produtividade, saúde e culinária; recordista mundial com o maior número de giros em um minuto dançando tango; apresentador de um podcast com mais de 100 milhões de downloads…

A lista de sucessos é grande, e realmente diversificada – o que dá a ele a propriedade para aconselhar a busca por múltiplos interesses.

Você vai ver nas próximas sacadas como é possível dominar uma habilidade com o menor tempo possível, aplicando técnicas de aprendizado rápido (fast learning) usadas pelo próprio Tim Ferriss, e muitos outros grandes realizadores.

Uma dica valiosa para equilibrar vários interesses é manter um deles como refeição principal, no qual você investirá a maior parte do seu tempo e demais recursos, enquanto cultiva uma ou várias opções paralelas observando as que apresentam maior potencial de crescimento.

É dessa forma que você será capaz de encontrar suas paixões – cultivando determinadas habilidades ao ponto de executá-las com maestria, pois diferente do que muitos pensam, elas não estão debaixo de alguma pedra, esperando para serem descobertas, mas surgem na medida em que você se torna bom em uma tarefa, e capaz de realizá-la por muitas horas com prazer, ao invés de sacrifício.

3. Não faça o que você pode, faça o que você deve

Só o que importa pra você é o centro do alvo!

Muitas vezes, ao começar um novo projeto, você vai precisar micro-gerenciar cada pequeno detalhe, a menos que já possua um orçamento razoável logo no início.

Digamos que você esteja começando um negócio online, e quer ter um site próprio, além de boa presença em todas os locais relevantes, com  conteúdo adequado a cada um. Isso pode se dividir em:

  • Postagens para o Site
  • Fotos e vídeos para o Instagram
  • Postagens para o Facebook
  • Vídeos para o Youtube
  • Atualizações no Stories
  • Conteúdos por E-mail
  • Acompanhamento e resposta dos comentários
  • Anúncios no Facebook
  • Anúncios no Google
  • Acompanhamento após a venda

A lista fica cada vez maior e mais diversificada. Com o tempo, você pode perceber que manda muito bem em edição de imagens e vídeos, mas não domina a escrita persuasiva nem o relacionamento com os seguidores.

Seu negócio já está faturando um bom valor, e você pode continuar fazendo tudo sozinho(a), ou fazer uma parceria/contratar alguém.

Nesse momento muitas pessoas optam de forma errada – na visão de Tim Ferriss – por ficar com um bolo pequeno inteiro para si, ao invés de ter alguém para dividir um bolo muito maior.

É isso que significa fazer o que você deve – dedicar o máximo possível de tempo às tarefas que você faz com maestria, e de onde tira o maior resultado; ao invés de fazer o que você pode – que é se dividir entre todas as tarefas sem masterizar nenhuma.

Dito de outra forma, o conselho de Tim Ferriss é: Foque no que você domina, delegue todo o resto, seja encontrando parcerias de trabalho, seja contratando alguém para realizar essas atividades.

4. Escolha as coisas certas para serem feitas

Além de saber o alvo que quer atingir, você também precisa saber quais dardos lançar!

Quando temos um propósito claro em mente, uma das primeiras coisas que fazemos é pensar em quais tarefas são necessárias para nos conduzir até ele.

E então escolhemos o caminho errado, de fazer a maior quantidade de pequenas coisas possível, no menor tempo em que elas couberem.

Essa dica de Tim Ferriss se aplica, potencialmente, a qualquer novo projeto.

Se você quer ganhar músculos, ou emagrecer, o que é mais eficaz: Fazer uma repetição de cada exercício existente, ou fazer uma quantidade de repetições focadas que leve ao crescimento do músculo (ou à queima da gordura)?

A mesma resposta serve, por exemplo, para quem quer publicar um livro. É mais eficaz escrever cinquenta capítulos sobre cinquenta assuntos diversos, ou escrever dez capítulos complementares sobre um único tema?

A principal diferença entre essa ideia de Tim Ferriss, e aquela sobre fazer o que você deve, e não o que você pode, é que ela é sobre dividir de forma adequada as tarefas que precisam ser executadas, enquanto nesta aqui ele diz para escolher as coisas certas a serem feitas.

No tópico anterior eu listei dez tarefas que alguém poderia realizar cotidianamente para ter um negócio online.

Mantendo esse exemplo, alguém que escolhe as coisas certas para serem feitas poderia decidir que apenas três ou quatro delas devem ser feitas, e excluir as outras do planejamento, ao invés de apenas ocupar o tempo dos funcionários com elas.

5. Registre diariamente seus planos e conquistas

Uma das técnicas práticas que Tim Ferriss mais recomenda é a de criar um diário, e escrever nele durante dois ou três minutos no começo e no final do dia.

De manhã, reforce quais são os seus planos e metas para o dia; anote as coisas que você precisa evitar para se manter concentrado(a) nas tarefas importantes e os compromissos agendados.

Pela noite, registre o que efetivamente foi feito; o que não foi, e porque não foi; as conquistas daquele dia e os planos para amanhã.

Tim Ferriss fala que um dos motivos mais importantes para fazer esse diário é conseguir acompanhar o seu progresso, e identificar o que está impedindo que ele seja melhor ou mais rápido.

Além disso, reforçar diariamente quais são as suas metas faz com o que Tim Ferriss chama de “mente de macaco” seja controlada. A mente de macaco são os impulsos que distraem a “mente humana” e tiram ela do foco na busca pelos objetivos que traçamos.

Por último, ter um diário é uma forma de manter-se motivado(a) pelas suas próprias conquistas, principalmente se você mal consegue comemorar uma vitória antes de partir para o próximo grande objetivo.

Isso ajuda a diminuir a ansiedade para chegar logo à conquista seguinte, e evita sintomas de depressão por não conseguir enxergar o valor do que já foi conquistado.

6. Elimine as distrações escrevendo

Uma ideia que está ligada à registrar diariamente seus planos e conquistas é eliminar as distrações que ocupam a sua mente, através do simples ato de escrevê-las.

Essa técnica serve para liberar espaço e acelerar o funcionamento do seu cérebro – é como fechar os programas desnecessários rodando no seu computador, para ter uma performance melhor no programa que quer usar.

Segundo Tim Ferriss, ainda que você esteja no seu pior dia, com raiva de todas as pessoas que viu pelo caminho, escrever ajudará a limpar essa emoção da sua mente.

A vantagem é que fazer isso por cinco ou dez minutos é uma ferramenta capaz de melhorar o seu desempenho por horas e horas.

Sentimentos negativos como raiva, tristeza ou medo podem massacrar a sua capacidade de trabalho, e derrubar ela para – digamos – 30% do que você é capaz de realizar normalmente.

Sendo assim, vale muito à pena seguir o conselho de Tim Ferriss, e dedicar alguns instantes totalmente afastado do que precisa fazer, limpando a sua mente dessas distrações, para então voltar ao trabalho operando em 100% da capacidade.

7. Se você não tem tempo, você não tem prioridades

Você provavelmente ainda vai ver essa ideia ser repetida muitas vezes aqui na DESEN, afinal, além do próprio Tim Ferriss, muitos outros grandes realizadores de nível mundial seguem esse princípio para organizar suas horas.

Se tempo é o recurso mais importante, e mais bem dividido do planeta – todos nós temos as mesmas 24h por dia, como algumas pessoas são capazes de executar várias tarefas de grande valor, enquanto outras lutam tentando encontrar dez minutos para se exercitar, por exemplo?

Segundo Tim Ferriss, a resposta está nas prioridades.

Quando você planeja o seu dia seguinte, ordena as suas tarefas por prioridade, começa pelo que ocupa mais tempo, ou lista apenas os compromissos com outras pessoas?

Aliás, você planeja o seu dia seguinte?

A maioria das pessoas que faz uma agenda para si mesmas acabam caindo em um desses dois ladrões de tempo:

1) Começar pelo que ocupa mais tempo

Oito horas de trabalho, quatro horas de estudo e… ué, já acabou? Esse é o problema de começar pelo que ocupa mais tempo – a sensação de que o seu dia se preenche com duas ou três ocupações gigantescas.

Mas e se você começar pelas prioridades? 10 minutos para meditar, 15 para fazer exercícios, 30 para aprender uma nova habilidade. Já são três ótimas tarefas, cabendo com folga em apenas uma hora.

2) Começar pelos compromissos

O resultado é parecido com o ponto anterior; o que muda é o caminho até ele. Reunião com a equipe, duas horas; aula de inglês, uma hora, e o resto do dia fica livre de regras.

Aí você dá uma olhada no Facebook, começa um texto que precisa escrever antes da reunião e se distrai depois de dois parágrafos, abre “um vídeo só” no Youtube que leva a dois, três, dez… e de repente, BOOM, faltam vinte minutos para a reunião, e o texto ficou lá, com os mesmos dois parágrafos.

Para conseguir mais tempo, nos dois casos, a solução é a mesma: defina suas prioridades, e comece sua agenda por elas.

Você sabe que precisa imediatamente começar a fazer exercícios? Escolha um horário para eles, sem pensar o que vai ficar no caminho, e encontre uma forma de manter esse momento livre.

A grande questão, na maioria das vezes, é definir o que é prioridade quando todos os compromissos parecem ter a mesma importância. Para conseguir um bom resultado com essa decisão, lembre-se de uma ideia anterior: Não faça o que você pode, faça o que você deve.

8. A perfeição é minimalista

Tim Ferriss é defensor do minimalismo, e da otimização dos processos, sobretudo quando o assunto é aprendizado.

Não é a toa que ele já esteve, ou ainda está, entre os melhores do mundo em habilidades tão distintas quanto escrita (de diversos assuntos), investimentos e tango.

Seja para estudos, ou outros aspectos importantes do desenvolvimento pessoal, é comum ouvir nas palestras dele que “A perfeição não é alcançada quando nada mais pode ser acrescentado, mas sim quando nada mais pode ser retirado”.

Em outras palavras, o que Tim Ferriss quer nos dizer é que você muitas vezes não precisa “reinventar a roda” numa área, basta seguir os passos básicos, de forma otimizada, para alcançar um certo nível de sucesso.

Não é à toa que ouvimos falar em jogadores de basquete fazendo dois mil arremessos por dia, ou músicos que acumulam milhares de horas praticando escalas básicas.

Foque em executar o básico com maestria, antes de se lançar em novos territórios.

9. Aprenda com as pessoas que você odeia

Essa atitude poderosa, e um tanto quanto polêmica à primeira vista, é capaz de nos ensinar, na opinião de Tim Ferriss, a separar o que você considera moral, do que é efetivo em busca de um determinado objetivo.

Digamos que essa pessoa trabalhe na mesma empresa que você, e por alguma razão específica, lhe causa ódio (ou raiva, desgosto, etc…). Esse indivíduo conseguiu uma certa posição na empresa, justamente naquela função em que você mais deseja trabalhar.

Você pode apenas acreditar que ele conseguiu isso usando de jogo sujo, manipulando os chefes e colegas, “puxando saco”, etc.

E o que vai aprender ou ganhar com isso?

Nada!

Por outro lado, você pode tentar avaliar a situação separando os sentimentos negativos que tem pela pessoa do que ela foi capaz de realizar. Será mesmo que todas as coisas que ela fez foram erradas, na sua visão?

Ou será que é possível separar o que realmente foram erros, do que foram táticas que você também poderia usar?

Dessa forma, você é capaz de ter uma visão mais elaborada sobre o processo e o resultado, excluindo o indivíduo da equação, e encontrar caminhos pelos quais pode seguir para alcançar o mesmo objetivo.

10. Baixas expectativas, e pequenas vitórias

Essa pode parecer uma ideia quase irônica, vinda de alguém como Tim Ferriss, que já conquistou tantas grandes vitórias, mas segundo ele mesmo, esse é provavelmente o melhor conselho sobre escrever que já recebeu:

Escreva duas páginas por dia!

Uma meta como duas páginas por dia, se você quer escrever um livro de 300 ou 400 páginas, parece ser completamente irrelevante.

Mas escrever as duas páginas por dia (meditar 60 segundos, se exercitar cinco minutos…) provoca dois efeitos poderosos e fortalecedores.

Ao alcançar a sua meta, terá uma sensação de dever cumprido, o que evita entrar no ciclo destrutivo de não ter resultado algum em um dia, e simplesmente não fazer nada no outro – e isso acontece MUITO!

Além disso, não será raro que você entre em estado de flow – que é quando você se torna capaz de continuar executando a tarefa por horas, e talvez nem perceba que o tempo está passando, até perceber que já escreveu 20 ou 30 páginas.

Um segredo que eu gosto de usar para aplicar essa ideia de Tim Ferriss começa por definir a meta mais baixa possível, de quanto eu seria capaz de fazer uma determinada tarefa diariamente, com um esforço leve.

Digamos que sejam as duas páginas por dia. Então eu acrescento um “bônus” de algo como meia página, para criar um pequeno desafio, e assim chego à meta diária de duas páginas e meia.

Outro exemplo é o seguinte, você acha que consegue fazer dez minutos de exercícios por dia, tranquilamente. Com um bônus, você vai chegar ao desafio de doze minutos diários, e seguir adiante!

Tim Ferriss e a arte de simplificar | Conclusão

O que você achou desse primeiro post na série 10 Grandes Ideias? Eu espero o seu comentário aqui abaixo. Opiniões positivas e negativas são muito bem vindas para fazer com que os próximos conteúdos da série superem a qualidade desse!

Aproveite para dizer também quem você gostaria de ver por aqui, as 10 Grandes Ideias de que personalidade iriam servir de inspiração para a sua vida?

E por último, nesse link você vai encontrar um vídeo legendado por mim, com trechos de palestras e entrevistas onde o próprio Tim Ferriss fala sobre essas ideias – eu recomendo que assista, afinal de contas ouvir as ideias na voz da própria pessoa é sempre mais impactante.

Tenha uma ótima semana, e até o próximo post!

Fontes:

https://www.youtube.com/watch?v=7bIxtMdzxTg

https://www.youtube.com/watch?v=VW0FP1Jmtsc

https://www.youtube.com/watch?v=I7Foam6oKPI

https://www.youtube.com/watch?v=whWbM61I9wA

https://www.youtube.com/watch?v=Kd06uvinqLI

https://www.youtube.com/watch?v=DSq9uGs_z0E

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *